O Problema

Qual é a lacuna financeira que a Traive pretende preencher? Qual é a importância do financiamento agrícola em geral e do financiamento de pequenos e médios agricultores (PMPs) especificamente?

Globalmente, o crédito total para a agricultura é menor do que a contribuição da agricultura para o PIB. De acordo com a FAO, em 2018, “o setor agrícola em quase metade dos países recebeu menos de 3,5% do crédito total.

Além da capacidade de crédito em geral não atendida do setor agrícola, o crédito existente é disperso não uniformemente entre agricultores. Existem milhões de pequenos e médios produtores cujas necessidades financeiras são grandes demais para depender apenas de microfinanças e pequenas demais para os credores tradicionais (“missing middle”).

Existe uma definição universalmente acordada para “Pequenos e Médios Produtores” (PMPs) ou os “Missing Middle Farmers”?

Não, não existe uma resposta universal para todos. A definição correta é sempre dependente do objetivo específico a que se destina e sempre vem com um balanço entre precisão e viabilidade. No entanto, geralmente uma combinação desses fatores é levada em consideração: 1) acesso aos fatores de produção 2) tipo de gerenciamento 3) orientação para o mercado e 4) capacidade econômica.

As definições também podem adotar uma abordagem quantitativa, qualitativa ou híbrida. A Traive usa uma abordagem híbrida e leva em consideração uma combinação de fatores. Chegar a uma definição o mais precisa e viável possível é um marco desafiador, porém imperativo. Embora estejamos comprometidos a atingir esse objetivo, nosso Norte nessa jornada é o fato de que nem as microfinanças nem as finanças tradicionais atendem plenamente às necessidades de nosso segmento-alvo. Nós nos referimos a eles como “missing middle farmers” e PMPs de forma intercambiável.

Qual é o motivo por trás dessa exclusão financeira?

A exclusão financeira dos PMPs é uma questão complexa, que é a razão e o resultado de muitos problemas socioeconômicos. Contudo, a incapacidade dos credores de avaliar adequadamente os agricultores e com boa relação custo-benefício é uma das principais razões pelas quais os mesmos não entram nesse mercado ou, se o fazem, concedem empréstimos com taxas de juros muito altas.

É por isso que a Traive utiliza o poder da ciência de dados e de nossos algoritmos proprietários para gerar uma avaliação de risco em tempo real para cada agricultor, a custos consideravelmente mais baixos e com maior precisão para os credores. Fornecer aos credores e agricultores alertas de aviso confiáveis ​​e no tempo certo, acompanhados de seguro inteligente incorporado, permite que eles mitiguem seus riscos. Isto é essencial para abrir o mercado para novos credores e está no centro das soluções da Traive.

Por que a inclusão financeira dos PMPs é tão importante?

A exclusão financeira dos PMPs é uma questão complexa, que é a razão e o resultado de muitos problemas socioeconômicos. Na próxima pergunta (mais informações sobre PMPs), você pode ler brevemente sobre alguns desses problemas. É importante observar que, embora esses problemas não possam ser explicados ou resolvidos apenas por questões financeiras, as finanças desempenham um papel crítico em todos eles.

É por isso que a inclusão financeira “está posicionada de maneira destacada como facilitadora de outras metas de desenvolvimento nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável de 2030, onde é destacada como meta em oito dos dezessete objetivos”. Aqui estão mais alguns recursos, se você estiver interessado em ler mais sobre este tópico: Achieving the Sustainable Development Goals: The Role of Financial Inclusion

Pathways To A Better Life: The Intricate Role of Digital Finance in Reaching the Sustainable Development Goals

Mais Informações Sobre SMFs

Pobreza e Crescimento Econômico

Os pequenos produtores constituem uma parcela significativa dos pobres no mundo. É por isso que, de acordo com o Banco Mundial, “o crescimento no setor agrícola é duas a quatro vezes mais eficaz para aumentar a renda entre os mais pobres em comparação com outros setores,” e, de acordo com a FAO, “o investimento na agricultura, particularmente nos mais pobres, é mais eficaz na redução da pobreza do que o investimento em setores não agrícolas.

Impacto nas Mudanças Climáticas

A agricultura, a silvicultura e a mudança no uso da terra são responsáveis ​​por 25% das emissões de gases de efeito estufa. Ao mesmo tempo, de acordo com a FAO, enquanto “a agricultura emite cerca de um quarto dos gases de efeito estufa, ela também detém quase metade das soluções para as metas climáticas globais.” Os PMPs, como o maior grupo de agricultores do mundo, podem desempenhar um papel crítico em aumentar ou diminuir os efeitos das mudanças climáticas. Enquanto estão sob pressão da pobreza, recorrem frequentemente ao curto prazo, o que leva ao desmatamento maciço, à desertificação e à degradação da terra.

Impactados pelas Mudanças Climáticas

A agricultura é atingida com força, recebendo cerca de um quarto de todos os danos e perdas causados ​​por riscos e desastres naturais nos países em desenvolvimento.” como PMPs dependem muito das condições climáticas, são os mais afetados pelas mudanças climáticas.

Desnecessário dizer que esses riscos climáticos diminuem a resiliência financeira dos agricultores e o apetite dos credores para entrar no mercado.

Down Arrow

Vital para a nossa segurança alimentar

A população mundial projetada para 2050 é de 9 bilhões e até lá a produção agrícola precisa aumentar 50-70% de maneira “sustentável”. A grande maioria das propriedades agrícolas do mundo é muito pequena e, embora a maior parte da produção global seja proveniente da porcentagem muito pequena de grandes fazendas, os pequenos produtores produzem cerca de 80% da oferta de alimentos em muitos países, especialmente na Ásia e África sub-saariana. Além disso, alguns estudos estimam que “os pequenos agricultores produzem globalmente 28 a 31% da produção total e 30 a 34% da oferta de alimentos em 24% da área agrícola bruta.”

Migração maciça

Dificuldades financeiras são uma das principais razões por trás da emigração de PMPs. Em 2050, se espera uma expansão urbana maciça com mais dois bilhões e meio de pessoas vivendo nas cidades em todo o mundo. De acordo com a FAO, “a urbanização deve continuar em um ritmo acelerado com as áreas urbanas, representando 70% da população mundial em 2050 (acima dos 49% em 2009).”

Nosso Impacto

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)

  • A Traive oferece soluções de inclusão financeira e análise de dados que visam diminuir a lacuna no setor financeiro para pequenos e médios agricultores. Embora a inclusão financeira não seja uma meta direta entre os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), é um facilitador importante para todos eles, especificamente para 8 ODS que explicamos abaixo.
  • Os ODS foram estabelecidos em 2015 pela Assembléia Geral das Nações Unidas, a serem alcançados até o ano 2030. Eles incluem 17 metas para alcançar um “futuro melhor e mais sustentável para todos”. Eles são interdependentes, e o progresso ou fracasso de uma delas afeta os outros.
  • Para saber mais, clique em cada ODS em que você está interessado. Para mais recursos sobre esse tópico, consulte Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU.